Arquivo da tag: ucranianos

Oficinas de pêssankas confirmadas – Vilson José Kotviski

pessankaAs oficinas de pêssanka já confirmadas para 2018 são:

  • Caçador-SC 10/02/18 (sábado) a partir das 14h.
  • Canoinhas-SC 15/02/18 (quinta) a partir das 18h00
  • Lages-SC 22 e 23 (quina e sexta) a partir das 14h e 08h

Nas oficinas, os participantes terão a oportunidade de vivenciar a arte da pêssanka, aprendendo de forma prática a técnica desta arte milenar.

A coordenação será a cargo do mestre e artesão de pêssankas Vilson José Kotviski, um dos expoentes desta arte no Brasil.

www.pessanka.com.br

Tintas para pêssanka  – Como preparar – Dicas – Cuidados – Onde Comprar

tintas para pêssanka - o prontas para uso.
tintas para pêssanka – o prontas para uso.

As tintas para pêssanka (ou corantes para pêssanka) são especialmente desenvolvidas para o feitio desta milenar arte ucraniana, visando o melhor resultado possível para a casca dos ovos.

No passado as pessoas utilizavam qualquer elemento que pudesse colorir os ovos, como argila, casca de árvores, plantas, folhas, raízes, etc.

O processo de coloração era mais difícil e nem sempre proporcionava o resultado esperado. Com os corantes contemporâneos temos a condição de ter ótimos resultados em nossas pêssankas.

 

 

Como preparar as tintas:

 

As tintas s em pó, para serem preparadas em casa. Então você deve providenciar recipientes com tampa, como por exemplo vidros de conserva ou potes plásticos.

Tenha também papel para forrar a mesa, tesoura e se quiser utilize também luvas, e para a conclusão final, tenha colher e vinagre.

 

– Coloque a água para ferver, a quantidade depende de quantas tintas você vai preparar. Vamos usar cerca de 200ml para cada cor à ser preparada.

– Forre com papel o local onde você irá dissolver as tintas, pois pode respingar e manchar o local.

– Abra o envelope, retire a embalagem interna e com muito cuidado faça um corte para remover o corante em pó.

– Despeje o pó no fundo do recipiente com cuidado.

– Despeje água fervente com cuidado para não respingar.

– Espere esfriar e adicione uma colher de sopa de vingre.

 

Sua tinta está pronta para uso!

 

Outras dicas:

– Lembre de manter o recipiente sempre fechado quando não estiver em uso. E sempre anote na tampa e no recipiente a cor e também a data em dissolveu a tinta.

– Com o tempo, caso perceba que não está colorindo bem, adicione mais vinagre ou aqueça a tinta em banho-maria.

– As cores podem sofrer variações nas tonalidades ou mesmo manchar conforme a casca do ovo. Não existe um tempo determinado para a coloração, então você deve sempre observar constantemente como está a tonalidade da casca. Nunca deixe o ovo imerso por um tempo demasiado, como por exemplo passar a noite toda na tinta.

– A vida útil do corante depende da sua utilização, conservação e do tempo de uso. Recomenda-se a renovação dos corantes a cada seis meses, por isso é importante que seja anotada a data em que a tinta foi preparada.

– Nunca misture as cores, utilize uma colher para cada cor.

 

Cuidados especiais:

Estes corantes são concentrados e não alimentícios, nunca ingerir, e não consumir ovos coloridos com este corante. O uso é específico para pêssankas!

Evite contato com os olhos e contato prolongado com a pele. Lavar com água corrente. E para remover manchas use água e sabão.

 

Onde comprar:

Você encontra as tintas para pêssanka na nossa loja virtual: www.pessanka.com.br/loja, ou em contato direto pelo telefone: 42 98432 8561 – Vilson

 

 

Vilson José Kotviski

www.pessanka.com.br

Calendário de Eventos Comemorações dos 120 Anos da Imigração Ucraniana no Brasil – RCUB

Conforme publicado no site da Representação Central Ucraniano-Brasileira (www.rcub.com.br):

FEVEREIRO

5 e 6 – Cruz Machado – Encontro Nacional da Juventude Ucraniano Brasileira

MARÇO

Dia 6 – Carnaval em Paranaguá, com uma das escolas homenageando os 120 Anos.

Dias 26 e 27 – 1º Congresso das Mulheres Ucranianas

ABRIL

– Bazar de Páscoa na Subras.

– Exposição de Pessankas em Shoppings

MAIO

Dia 14 – 1º Festival da Música Ucraniana em União da Vitória

Exposição de Trajes Típicos e Pêssankas no Congresso Nacional.

JUNHO

30 Anos de fundação do Grupo Folclórico Poltava –

Dia 28 – Dia da Constituição da Ucrânia – Palestra

JULHO

50 Anos de fundação do Grupo Folclórico Kyiv, de SP

De 1º a 15 – Festival Folclórico e de Etnias do Paraná, Teatro Guaira

De 1º a 10 – Festival Ivan Kupalo, em Mallet

De 17 a 24 – Workshop de dança, música e coral, na UNILA, Foz do Iguaçu – para grupos do Brasil, Argentina e Paraguai

AGOSTO

– Viagem 120 à Ucrânia.

– Atos políticos no Congresso, Assembleias Legislativas e Camaras Municipais, homenageando os 120 Anos e os 20 Anos de Independência.

De 20 a 28 de agosto – Semana Ucraniana em Prudentópolis.

Durante todo o mês – Exposição de trajes no aeroporto Afonso Pena.

Dias 16 e 17 – Fórum de mulheres em Lviv.

SETEMBRO

De 31/8 a 4/9 – Sobór (reunião) da Igreja Católica em Prudentópolis

De 4 a 11/9 – Sínodo dos Bispos da Igreja Greco Católica, em Curitiba.

OUTUBRO

Vetchornêtsi (jantar) na SUBRAS e

NOVEMBRO

Dia 5 – Festival Nacional de Danças Ucranianas, em Cascavel.

Dia 20 –São Nicolau – Memorial Ucraniano

De 21 a 26 – Exibição de filmes ucranianos na Cinemateca

Dias 26 e 27 – VIII Congresso da Comunidade Ucraniana Brasileira – Assembleia Geral da RCUB Jantar de encerramento dos 120. 26 Solenidade no Memorial em Memória às Vítimas do Holodomor.

DEZEMBRO

Dia 3 – Encontro de Corais – SUBRAS

Folclore Ucraniano Kalena: turnê na Ucrânia e Estados Unidos

Kalena: Sonho Realizado!

Desfile - Festival Etnovyr, Lviv - Ucrânia

Após 27 dias de viagem, o Folclore Ucraniano Kalena retornou de sua primeira turnê internacional, realizando apresentações na Ucrânia e Estados Unidos. Acompanhado pela empresa Verkhovena Turismo e Eventos (Curitiba-PR), o grupo saiu no dia 18/08/10, e retornou dia 14/09/10.

No dia 23/08, o Kalena participou do Festival Internacional de Folclore “Etnovyr”, na cidade de Lviv, evento alusivo à 19º Festa da Independência da Ucrânia. A apresentação pode ser considerada como mais importante e mais emocionante de toda a história do Kalena.

Kalena no 3º Festival Etnovy - Lviv, Ucrânia

Mais de três mil pessoas acompanhavam o evento, aplaudindo calorosamente o grupo que representava toda a comunidade ucraniana do Brasil. Ao final, toda a emoção do momento se transformou em lágrimas, que refletiam toda a história dos imigrantes, da Ucrânia, do grupo e de cada família de descendentes, que mesmo longe, mantêm o amor pela pátria dos antepassados. Além do Kalena, participaram do evento grupos de diversos países como Polônia, República Tcheca, Indonésia, Portugal, País Basco, Senegal e da Ucrânia.

Kultshytsi Fest - Sambir, Lviv Oblast - Ucrânia

O grupo também se apresentou no “Kultshytsi Fest”, aldeia na cidade de Sambir, leste da Ucrânia. Nesta localidade nasceu um importante hétman kozako: Petró Sahaidaschnyi. Também esteve no evento o emérito Grupo Folclórico Iunist, de Lviv. Além da apresentação, um fato importante foram as palavras do diretor artístico do Iunist, Sr. Mikhaylo Vanivskyi, que falou ao Kalena: “Eu vi a emoção de vocês em Lviv(…); Vocês são como uma fonte de água pura, e muito podem ajudar à nós, aqui na Ucrânia, a manter nossas tradições”.Ainda como grandes experiências no contexto da dança ucraniana, o Kalena foi recebido pelos grupos eméritos estatais Veriovka e Virsky, conhecendo a estrutura, guarda-roupas, sistema de trabalho, e tendo o privilégio de assistir os ensaios de ambos os grupos, que são as maiores referências do folclore ucraniano.

Kyiv, Ukraine

Em todo o período que o grupo esteve na Ucrânia, foram visitados muitos pontos turísticos nas cidades de Kyiv, Lviv, Ivano-Frankisvki, Yaremche, Kolomyia, Kosiv, Sambir, Kamianets-Podilski e Zaporizhia. Vale destacar a beleza do país, especialmente no momento das comemorações da Independência da Ucrânia na cidade de Lviv, onde se sentia o clima de alegria e orgulho popular nas comemorações.

34º Baltimore Ukrainian Festival - EUA

Nos Estados Unidos, o grupo visitou os estados de Maryland, Pensilvânia, New Jersey e New York, com destaque para as cidades de Baltimore, New York e Washington. As apresentações do Kalena aconteceram no 34º Baltimore Ukrainian Festival, promovido pela comunidade local. O dirigente do evento, Sr. Steve Humeniuk elogiou e agradeceu muito a participação do Kalena. Ao final do evento, em clima de muita hospitalidade, foi oferecido um jantar típico ucraniano ao grupo, regado inclusive com cervejas importadas da Ucrânia e países do leste europeu.

Esta foi uma turnê histórica para o Kalena e também para toda a comunidade ucraniana, já que foi a primeira vez que um grupo folclórico ucraniano do Brasil se apresentou na terra de seus antepassados.

Vilson José Kotviski

Presidente – Folclore Ucraniano Kalena

Gestão 2009-2010

vilson@pessanka.com.br

Créditos fotografias: Rogério Berbeki Figueiredo

Oficinas de Pêssanka em Porto União-SC – Arte e cultura ucraniana

pêssanka - arte e cultura ucraniana

A comunidade ucraniana de Porto União-SC recebe duas oficinas do projeto “Pêssanka – Artesanato Ucraniano, Brasileiro, Catarinense”, que serão realizadas na Comunidade do Pintadinho, dias 22 e 23 de maio e no Centro de Eventos São Basílio Magno, dias 02 e 03 de junho. A proposta é uma das vencedoras do Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura (Fundação Catarinense de Cultura), e está promovendo dez oficinas gratuitas em comunidades ucranianas na região do Planalto Norte, contando com a coordenação de Vilson José Kotviski (31) um dos expoentes da arte no Brasil.

A pêssanka é uma arte em ovos e tem origem à mais de 3000 a.C, sendo um dos símbolos mais importantes da cultura ucraniana, e seus desenhos trazem belas mensagens como paz, harmonia, amor, saúde e amizade, e foi trazida à Santa Catarina através dos imigrantes que se fixaram principalmente no Planalto Norte. “A arte da pêssanka expressa a essência do espírito do povo ucraniano, sendo uma forma de ligação entre presente e passado, manifestando por meio dos desenhos o íntimo do ser humano, com seus anseios, realidades, conceitos e esperanças”, conta Kotviski.

A iniciativa contribuirá para a preservação desta singela arte, rica em simbolismos e beleza, e que também integra a diversidade cultural de Santa Catarina. As inscrições são gratuitas e as vagas são limitadas. Inscrições: 3553 2975 / 8401 2989 (Vilson).

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

Localidad de Craveiro Cursillo de Pysanka- Milenar arte Ucraniana en Huevos.

Alunos de pêssanka em Craveiro

 

La técnica contemporánea del arte de la Pysanka fue demostrada en la localidad de Craveiro en los días 10 y 11/04/2010, a través del cuarto taller del Proyecto cultural  ”Pessanka – Artesanato Ucraniano, Brasileiro, Catarinense”. 

Craveiro es una comunidad rural del municipio de Santa Terezinha – SC, donde logramos conocer una juventud ucraniana muy animada y participativa. Según los relatos de las personas, fue la primera vez que hubo un cursillo del género y todos se quedaron muy contentos por la oportunidad y con los primeros resultados obtenidos. Sor  Emilia colaboradora para la organización del grupo, agradeció en nombre de la comunidad y pidió que sea recordada por la comunidad de Craveiro para Proyectos futuros, lo que ciertamente ocurrirá, por la óptima receptividad de las personas del lugar. 

primeiros resultados - coordenaçãop: Vilson José Kotviski

 

El cursillo fue coordinado por Vilson Kotviski, uno de los exponentes del arte Pysanka en el Brasil, autor del libro ‘ Pessanka – da Ucrania para o Brasil ‘ (2004) y del DVD ‘ A arte de Pintar Pessanka’ (2007). 

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br  /  www.pessanka.com.br

Liturgia dos Dons Pré-Santificados e Parastás (Ofício dos Mortos)

Liturgia dos Dons Pré-Santificados - Matriz São Basílio Magno

A Matriz de São Basílio Magno celebra durante a quaresma, nas sextas-feiras, Liturgia dos Dons Pré-Santificados, uma das grandes tradições das igrejas de rito oriental. É assim chamada porque os dons (hóstias) já foram consagrados em uma celebração precedente.

Nas Igrejas Orientais durante a quaresma, se celebrava a Divina Liturgia somente aos sábados, domingos e na quinta-feira santa, pois a mesma era concebida como uma celebração alegre, que não condizia com o tempo de conversão e arrependimento.  As melodias, leituras e temáticas da Liturgia dos Dons-Pré Santificados são o alimento espiritual para os cristãos nesse tempo de jejum e penitências.

Parastás: oferenda de pães como lembrança dos falecidos

Nas sextas-feiras, temos também a tradição de lembrar dos entes falecidos com a celebração do “Parastás” (Ofício dos Mortos), onde os sacerdotes lêem os “Pomianek” (livretos onde as famílias anotam os nomes de todos os seus antepassados). As famílias levam à igreja pães como oferendas, alimento que simboliza a vida, lembrando que os falecidos continuam a viver após a morte.

A Liturgia dos Dons Pré-Santificados é muito especial, são momentos de introspecção que elevam nosso espírito em direção à busca do Criador, e uma manifestação do espírito do povo ucraniano.

Vilson José Kotviski – União da Vitória-PR  vilson@pessanka.com.br

37º Congresso da Juventude Ucraíno-Brasileira é neste fim de semana!

O tradicional congresso da juventude ucraniana acontece neste fim de semana em Dorizon e Serra do Tigre, no município de Mallet-PR.
A programação, já divulgada neste blog está muito interessante, vale a pena participar! Teremos também a eleição da nova diretoria da AJUB – Associação da Juventude Ucraíno-Brasileira, conforme anunciado na lista da ajub no yahoogrupos (inclusive quem tiver interesse em participar deste grupo de discussões, entre em contato enviando um e-mail: vilson@pessanka.com.br, que será providenciado o cadastro. Na lista estão muitas lideranças da comunidade).
Após o congresso, faremos um relato do que aconteceu por lá!!
Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

A tradição e os costumes do Natal entre os ucranianos

O Natal é um acontecimento todo especial para a humanidade, sendo a época da renovação das forças espirituais, que o Criador nos emite a cada ano. E neste momento especial devemos abrir nossos corações para auferir desta dádiva, que vem nos dar novo ânimo para a caminhada, uma certeza de que não estamos sozinhos, pois Deus está conosco.

Desde tempos remotos, muito antes do nascimento de Cristo, os povos comemoravam a época de Natal, preparando mesas fartas com o que de melhor produziam, como forma de oferenda ao Criador que os permitiu que colhessem os belos frutos do trabalho. As pessoas tinham consciência da renovação da força de Deus sobre a terra e que desta forma seriam agraciados novamente com a renovada força que vinha do alto.

Com o tempo, infelizmente muito foi se apagando e com o nascimento do Filho de Deus, o povo passou a recuperar a época das vivências da renovação da criação, agora simbolizada pela chegada do próprio Senhor entre os homens.

Entre os ucranianos o Natal é rico em manifestações de cunho espiritual, sendo um momento de muita cultura e beleza. Na véspera, inicia-se um ritual de renovação nos lares, onde é realizada uma grande limpeza de todos os ambientes, para a chegada do momento sagrado. Em alguns lugares, a pessoa mais velha da família percorre todas as dependências da propriedade (deste a casa até os estábulos), levando junto o pão e o sal, rezando e benzendo com água benta para eliminar todas as impurezas que porventura estejam impregnadas nos ambientes.

Antes da primeira estrela surgir no firmamento, é trazido para o lar o “didúh” (feixe de trigo), como símbolo do agradecimento pelos alimentos e pedindo que tenhamos força para trabalhar e continuar produzindo aquilo que necessitamos para a nossa subsistência. O “diduh” é colocado em local de destaque, simbolizando também os entes falecidos. Logo também é trazido o feno e colocado sob a toalha da mesa, como recordação de que Cristo nasceu em uma humilde manjedoura e que nós também temos de ter a humildade para viver em conforme as Leis de Deus.

Quando surge a primeira estrela no céu, simbolizando a Estrela de Belém, chegou o momento de todos se reunirem em torno da mesa e participar do Schiatei Vétcher (Santa Ceia). São entoadas as kólhadas (cantos natalinos) e cada pessoa prova das doze iguarias típicas, que sibolizam os doze meses do ano e também os apóstolos de Jesus. Após a ceia, alguém leva um pouco de cada alimento aos animais da casa, pois eles também são criaturas de Deus e devem tomar parte desse acontecimento. E enfim todos vão à igreja, mas a mesa continua posta, pois acredita-se que nesta noite os mortos da família vêm se servir, fazendo também a sua ceia especial de Natal.

Na igreja continuam a ser entoadas as kólhadas, especialmente a linda melodia Bóh Previtchenei (Saudemos o Senhor), e o cumprimento entre as pessoas passa a ser: Hrestoc Rochdaytcha! (Cristo Nasceu) e responde-se Slavimo Ioho! (Glórifiquemos à Ele).

Posteriormente à celebração são formados grupos de cantores que vão em todas as casas dos membros da comunidade entoar as kólhadas anunciando a chegada do Cristo Salvador, esta tradição dos kolhadneks é abrilhantada pelo Vertép espécie de teatrinho ambulante, onde os cantores vestem os trajes típicos ucranianos e levam a representação da Estrela de Belém para anunciar a boa notícia à todos.

Dentre os povos, sempre existiram muitos costumes natalinos, mas hoje vemos que muito se perdeu, ficando o Natal desprovido do seu sentido original, ou seja, é evidenciado o comércio, e o triste e patético personagem fictício, que somente serve para desviar a atenção do acontecimento espiritual. Seria bom se as pessoas abrissem seus espíritos e voltassem a atenção para o verdadeiro sentido do Natal, intuindo seu valor e transmitindo aos filhos a alegria de estar em sintonia com o Criador, que em um ato de amor pela humanidade, mandou seu filho para anunciar a sua Palavra.

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

Mais uma Igreja Ucraniana de Madeira é Demolida

Não é agradável publicar um artigo com este conteúdo, mas é necessário. A Paróquia Ordodoxa da Dormição da Mãe de Deus, localizada na Colônia Xaxim Jangada, interior de Porto União-SC já não existe como está na fotografia ao lado, tirada em junho de 2007.

O templo em madeira, inaugurado em 1928 carecia de manutenção, assim como as outras tantas igrejas ucranianas que ainda restam no Brasil, e a comunidade simplesmente resolveu demolir a igreja para construir outra no mesmo local e com as mesmas características. Assim aconteceu com a igreja ucraniana de Nova Galícia, também em Porto União: era para ser tudo igual, mas é só fazer uma visita e ver a arquitetura em alvenaria, de gosto duvidoso, que substitui aquela que hoje seria uma das poucas igrejas centenárias em madeira, marco histórico da comunidade e ponto turístico do município.

Vamos ver o que realmente será construído no local da antiga igrejinha do Xaxim-Jangada, pude ver parte da estrutura da cúpula, o que de certa forma é um alívio, pois uma característica de igreja ucraniana será mantida.

Que as recentes publicações das Casas Eslavo-Paranaenses e das Igrejas Ucranianas – Arquitetura da Imigração no Paraná contribuam para a conscientização das comunidades. Não podemos deixar que nossa história se perca.