Kólhadas – Canções natalinas ucranianas

Uma das grandes tradições do Natal para os ucranianos, é a formação de grupos de cantores que visitam as casas das famílias anunciando o nascimento de Cristo através das lindas canções natalinas ucranianas.
Esta é uma tradição muito bela, que aproxima as pessoas do verdadeiro sentido religioso do Natal. Dentro dos costumes, os cantores se aproximam das casas trazendo uma estrela, que simboliza a Estrela de Belém e entoam as “kólhadas” (canções natalinas). Os donos das casas sempre recebem bem os kolhadnekês, normalmente oferecendo doces, refrescos, etc., e fazem doações que são utilizadas para a comunidade à que pertencem.

Turnê Internacional: Folclore Ucraniano Kalena

Após 41 anos de fundação, o Folclore Ucraniano Kalena realiza em Agosto de 2010 a sua primeira turnê internacional, com apresentações na Ucrânia e Estados Unidos.

O grupo vem se preparando para o evento há quase dois anos, quando aceitou o convite da Verkhovena Turismo & Eventos, empresa organizadora da turnê, que inclui apresentações artísticas e visitas à pontos turísticos e culturais na Ucrânia e Estados Unidos.

Na Ucrânia, o Kalena estará participando do III Festival Internacional de Folclore “Etnovyr” e do 20º Festival Internacional Hutzul. O primeiro evento acontece na cidade de Lviv, reunindo grupos folclóricos de diversos países, e o segundo acontece em Kosiv, evidenciando a rica cultura dos Montes Cárpatos. Também está programada, em Kyiv, a visita aos grupos Virsky e Veriovka, grandes referências do folclore ucraniano. Já em terras americanas, o grupo será recebido pelas comunidades ucranianas locais, participando do 34º Baltimore Ukrainian Festival, no Estado de Maryland.

Para o Folclore Ucraniano Kalena, além de ser uma viagem enriquecedora, este é um momento histórico, no qual os componentes irão conhecer a terra de seus antepassados e também representar a Comunidade Ucraniana do Brasil em eventos no exterior.

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

Presidente – Gestão 2009-2010

Folclore Ucraniano Kalena / Clube Ucraniano

Porto União-SC             União da Vitória-PR

Show Kalena 2010: Espetáculo de Danças Folclóricas Ucranianas, no Cine Teatro Luz – União da Vitória-PR

O Kalena está preparando para o dia 19/06/10, a partir das 20h00, um grande espetáculo de folclore ucraniano, contando com a participação do grupo adulto, juvenil, infantil e Terceira Idade Zoriá.Os ingressos custam R$ 15,00 e estão disponíveis na Ótica Iguaçu, Secretaria da Matriz São Basílio Magno e também com integrantes do grupo. Prestigie as manifestações culturais de nossas cidades!
Informações: 42 3553 2975 (Vilson)
vilson@pessanka.com.br

Show Folclore Ucraniano Kalena 2010: dia 19/06 no Cine Teatro Luz – União da Vitória-PR

Confirmado o show de danças foclóricas ucranianas do Grupo Kalena, no Cine Teatro Luz em União da Vitória, dia 19/06/10. Ingressos à R$ 15,00, com integrantes do grupo e na secretaria da Matriz São Basílio Magno.
Informações: 42 3553 2975 / 42 8401 2989.
Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

O Festival Nacional de Danças Ucranianas: uma análise necessária (ou desnecessária?)

O Festival Nacional de Danças é sem dúvida o grande momento da comunidade ucraniana no Brasil, onde cultura é demonstrada de forma muito bela através da dança folclórica. Desde que a idéia de reunir os grupos foi lançada pela AJUB – Associação da Juventude Ucraíno-Brasileira, na época sediada em União da Vitória-PR, já aconteceram 16 edições. Até a oitava edição, o evento se chamava “Festival de Hopak”, mas acabou saturando, pelo fato de todos os grupos apresentarem o mesmo estilo de dança. Então a partir da nona edição, foi colocada como regra que somente o grupo sede poderia apresentar o previt e o hopak, e os demais grupos deveriam apresentar números distintos, explorando toda a riqueza das regiões e do folclore ucraniano. Essa mudança foi para o bem! Muitos grupos evoluíram com isso, passaram a pesquisar mais, desenvolver novos trajes e coreografias, tudo isso enriqueceu muito o evento. Agora após mais oito anos, precisamos de um novo combustível para o festival. Nas conversas de bastidores percebemos uma certa insatisfação entre os dirigentes, e que precisamos de mudanças.

Vamos analisar primeiro o Festival em Maringá. Acredito que a comunidade local se esforçou ao máximo, fez o que pode e é louvável a coragem de assumir o evento. Porém precisamos ser críticos e procurar melhorar os pontos negativos. Por exemplo, os alojamentos não estavam em condições adequadas, com salas sujas, chuveiros insuficientes, falta de papel nos banheiros, e principalmente falta de um responsável do evento para dar assistência aos grupos no alojamento. Outro ponto crítico que deve ter uma atenção especial é em relação aos discursos. Se forem imprescindíveis, que estes sejam breves. Também é inaceitável permitir discursos após o evento ter iniciado, pois o que ocorreu em Maringá foi um balde de água fria no público e nos próximos grupos a se apresentarem. Também realizar intervalo no meio do evento é desnecessário, pois já tradicionalmente a duração é longa, sendo necessário agilizar as coisas. Algumas decisões acabam afetando muito as coisas, o fato dos dirigentes comparecerem e não ser realizada a reunião no horário previsto acabou de forma desastrosa. Havia muita coisa a ser dita, a maioria do pessoal estava ávido por colocar seus pontos de vista na reunião, mas por fim a mesma nem chegou a acontecer. O Barvinok já tinha confirmado anteriormente para o festival do ano que vem e o festival de 2011 já tem pretendentes, mas isso só será definido para frente.

Esses são fatos específicos do último festival, que no geral foi um bom evento, a estrutura do teatro foi fantástica e a primeira participação de um grupo vindo diretamente da Ucrânia abrilhantou muito o espetáculo! Os grupos onde se esperam bons números cumpriram seu papel! O grupo estreante foi bem, mas teve grupo muito desorientado também. Todos são amadores, mas devem ter o máximo cuidado para fazer o melhor possível, ninguém sabe tudo, mas tem muita gente disposta a ajudar. O Verkovena é um belo exemplo de boa vontade em pesquisar, solicitar apoio e apresentar ótimos resultados em pouco tempo de vida.

Agora voltando a analise geral dos Festivais, considero que precisamos implantar algo novo, que traga mais ânimo para os grupos se esforçarem para o evento, que como todos sabem custa caro aos caixas das entidades. Colocando uma sugestão de um festival competitivo, mas analisando a fundo, acredito que seria um tipo no pé, mas podemos pensar em uma avaliação de cada grupo, onde ninguém sai vencedor mas que leva para casa sugestões para melhorar e desenvolver. Poderia ser composto um júri específico para colocar observações para os grupos, composto de pessoas com conhecimento de dança, de arte, de cultura e especificamente de folclore ucraniano. Participei de um evento de dança como jurado e achei muito interessante a idéia! Fica como sugestão para o próximo organizador e também para a AJUB , que sempre foi a entidade de referência dos festivais. A organização de uma entidade para organizar os festivais, não aconteceu… talvez para frente possa vir a existir independente ou mesmo integrando e fortalecendo a AJUB. Minha opinião é de que devemos nos preocupar com o Festival e procurar melhorar a cada ano. Quem acha que está tudo bem, que acha desnecessário analisar este que é o mais belo evento da nossa comunidade, que fique omisso (como sempre).

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

Presidente Folclore Ucraniano Kalena/Clube Ucraniano, Diretor Associação dos Amigos da Praça da Ucrânia, Diretor Cultural Comissão Administrativa Paróquia São Basílio Magno, 4º Vice-presidente Representação Central Ucraniano-Brasileira

Maringá recebe, pela primeira vez, Festival Nacional de Danças Ucranianas

Maringá recebe, pela primeira vez, Festival Nacional de Danças Ucranianas
Realizado sábado, evento terá 13 grupos do Brasil e um da Ucrânia

Fábio Massalli
massalli@odiariomaringa.com.br

Divulgação: Companhia de Dança Verkovena, de Maringá, que traz o festival para a cidade: “atingimos a maioridade”

Na noite de sábado (12), no palco do Teatro Calil Haddad, os maringaenses da Companhia de Dança Ucraniana Verkovena vão saudar, através da dança folclórica “Previt”, a todos os presentes com o pão e o sal, símbolos da amizade, riqueza e fertilidade na Ucrânia. No país do leste europeu, o pão e o sal também representam a vida e o sabor de viver.

A saudação em forma de dança do grupo maringaense não será dirigida somente aos espectadores do teatro, mas também aos outros 12 grupos brasileiros e à companhia de dança ucraniana que participam do 16º Festival Nacional de Danças Ucranianas. A mostra será aberta pelo Verkovena, no sábado. Alguns dos grupos brasileiros que vão se apresentar em Maringá existem há mais de 50 anos.

O evento, anual e itinerante, é realizado pela primeira vez na cidade. “A cada ano, o festival é feito em uma cidade diferente, e sempre acontecia no sul do Paraná ou em Curitiba, onde a imigração ucraniana foi mais forte”, conta o presidente do grupo Verkovena, Aurélio Mazur. “Esta é a primeira vez que acontece no Norte do Paraná.” A escolha do novo local é feita pelos diretores do grupo, ao final de cada edição. Segundo Mazur, eles escolheram Maringá porque queriam ver o festival acontecer em lugares diferentes .

Essa também será a primeira vez que o festival recebe um grupo internacional. Através de um contato realizado com o Consulado da Ucrânia e com o presidente da Representação Central Ucraniano-Brasileira, Vitorio Sorotiuk, o evento em Maringá terá a participação do grupo Pokutia, da cidade de Kolomya, na Ucrânia.

O festival terá também a participação do Ministro da Cultura da Ucrânia, Vasil Vovkun; do embaixador da Ucrânia no Brasil, Volodemyr Lakomov e da consulesa ucraniana no Paraná, Larysa Myronenko.“Para o Verkovena, realizar esse festival é algo histórico, pois com ele atingimos a nossa maioridade”, diz Mazur. “Somos um grupo de estrutura que já sediou um festival.”

A dança
Mazur explicou que a dança folclórica ucraniana é um estilo empolgante, com passos bem enérgicos e que contagia quem assiste às apresentações. “Os ritmos são bem animados”, garante. Tradicionalmente, quem sedia o evento apresenta duas danças: o “Previt”, a dança da saudação em que são usados seis trajes de regiões diferentes da Ucrânia, e o “Hopak”, a dança mais tradicional da Ucrânia e que é apresentada em praticamente todas as festas.

Os outros grupos brasileiros apresentarão, cada um, uma coreografia que comemoram, entre outros temas, a colheita, as estações do ano e casamentos. O Pokutia, da Ucrânia, também vai apresentar duas coreografias. O grupo estrangeiro será o único que terá música ao vivo. Eles vêm com 12 dançarinos e seis músicos.

Para ver
16º Festival Nacional de Danças Ucranianas. Sábado, às 20 horas, no Teatro Calil Haddad. Ingressos a R$ 30 e R$ 15 (meia), à venda na bilheteria do teatro.

Reportagem sobre ucranianos em Prudentópolis

Neste domingo, antes de ir para a nossa tradicional Missa das 09h00 – era primeira comunhão das crianças que estrearam a Subotna Schkola Kalena neste ano – estava assistindo ao Globo Rural, e passou uma reportagem muito interessante para nossa etnia.
Era sobre o sistema de faxinais que existe em Prudentópolis e em outras comunidades no Brasil.
E como esta cidade concentra o maior núcleo de ucranianos de nossa comunidade, as famílias entrevistadas eram todas de origem ucraniana.
Gostei muito do enfoque que deram à questão cultural através da família Lis. De forma simples expuseram muita coisa de nossa cultura, inclusive da igreja em Barra Bonita e do Grupo Folclórico Dibrova (espero que participem do festival em Maringá!).
Só estranhei um pouco o tal holouptchi de feijão com arroz… acho que a hrétchka (trigo sarraceno) é fundamental no gosto deste prático típico, mas são detalhes que não comprometem a boa divulgação de nossas coisas em nível nacional.

A reportagem na íntegra pode ser conferida em: http://globoruraltv.globo.com/GRural/0,27062,LTO0-4370-338030,00.html

Vilson José Kotviski

Porto União-SC / União da Vitória-PR

vilson@pessanka.com.br