Korovai (коровай) – pão tradicional do casamento ucraniano.

Korovai - Casamento de Rosana e Igor Vodiani (2009) - União da Vitória-PR

O korovai é um dos elementos fundamentais do casamento tradicional ucraniano. O mesmo consiste num grande pão doce, arredondado, que recebe na parte superior adornos feitos com a própria massa, em forma de lua e estrela que são representações do casal. Também podem receber outros adornos como sóis, aves, animais, pinhas, ramos de trigo, flores e frutos.
Suas origens são muito antigas e provém das crenças nas propriedades mágicas dos grãos na era pré-cristã.
No centro é colocada uma pequena árvore (que nas colônias paranaenses é um pinheirinho – araucária), enfeitada com diversas fitas, cuja simbologia está ligada á vida agrícola, sendo a representação da árvore da vida.
A dança do korovai, ao som das “kolomeikas” é um dos principais momentos dos casamentos ucranianos, onde a alegria é contagiante.
O korovai é um símbolo do sol e do amor que deve habitar em suas vidas,é uma homenagem aos noivos e uma bênção para o seu casamento.

vilson@pessanka.com.br

A tradição e os costumes do Natal entre os ucranianos

O Natal é um acontecimento todo especial para a humanidade, sendo a época da renovação das forças espirituais, que o Criador nos emite a cada ano. E neste momento especial devemos abrir nossos corações para auferir desta dádiva, que vem nos dar novo ânimo para a caminhada, uma certeza de que não estamos sozinhos, pois Deus está conosco.

Desde tempos remotos, muito antes do nascimento de Cristo, os povos comemoravam a época de Natal, preparando mesas fartas com o que de melhor produziam, como forma de oferenda ao Criador que os permitiu que colhessem os belos frutos do trabalho. As pessoas tinham consciência da renovação da força de Deus sobre a terra e que desta forma seriam agraciados novamente com a renovada força que vinha do alto.

Com o tempo, infelizmente muito foi se apagando e com o nascimento do Filho de Deus, o povo passou a recuperar a época das vivências da renovação da criação, agora simbolizada pela chegada do próprio Senhor entre os homens.

Entre os ucranianos o Natal é rico em manifestações de cunho espiritual, sendo um momento de muita cultura e beleza. Na véspera, inicia-se um ritual de renovação nos lares, onde é realizada uma grande limpeza de todos os ambientes, para a chegada do momento sagrado. Em alguns lugares, a pessoa mais velha da família percorre todas as dependências da propriedade (deste a casa até os estábulos), levando junto o pão e o sal, rezando e benzendo com água benta para eliminar todas as impurezas que porventura estejam impregnadas nos ambientes.

Antes da primeira estrela surgir no firmamento, é trazido para o lar o “didúh” (feixe de trigo), como símbolo do agradecimento pelos alimentos e pedindo que tenhamos força para trabalhar e continuar produzindo aquilo que necessitamos para a nossa subsistência. O “diduh” é colocado em local de destaque, simbolizando também os entes falecidos. Logo também é trazido o feno e colocado sob a toalha da mesa, como recordação de que Cristo nasceu em uma humilde manjedoura e que nós também temos de ter a humildade para viver em conforme as Leis de Deus.

Quando surge a primeira estrela no céu, simbolizando a Estrela de Belém, chegou o momento de todos se reunirem em torno da mesa e participar do Schiatei Vétcher (Santa Ceia). São entoadas as kólhadas (cantos natalinos) e cada pessoa prova das doze iguarias típicas, que sibolizam os doze meses do ano e também os apóstolos de Jesus. Após a ceia, alguém leva um pouco de cada alimento aos animais da casa, pois eles também são criaturas de Deus e devem tomar parte desse acontecimento. E enfim todos vão à igreja, mas a mesa continua posta, pois acredita-se que nesta noite os mortos da família vêm se servir, fazendo também a sua ceia especial de Natal.

Na igreja continuam a ser entoadas as kólhadas, especialmente a linda melodia Bóh Previtchenei (Saudemos o Senhor), e o cumprimento entre as pessoas passa a ser: Hrestoc Rochdaytcha! (Cristo Nasceu) e responde-se Slavimo Ioho! (Glórifiquemos à Ele).

Posteriormente à celebração são formados grupos de cantores que vão em todas as casas dos membros da comunidade entoar as kólhadas anunciando a chegada do Cristo Salvador, esta tradição dos kolhadneks é abrilhantada pelo Vertép espécie de teatrinho ambulante, onde os cantores vestem os trajes típicos ucranianos e levam a representação da Estrela de Belém para anunciar a boa notícia à todos.

Dentre os povos, sempre existiram muitos costumes natalinos, mas hoje vemos que muito se perdeu, ficando o Natal desprovido do seu sentido original, ou seja, é evidenciado o comércio, e o triste e patético personagem fictício, que somente serve para desviar a atenção do acontecimento espiritual. Seria bom se as pessoas abrissem seus espíritos e voltassem a atenção para o verdadeiro sentido do Natal, intuindo seu valor e transmitindo aos filhos a alegria de estar em sintonia com o Criador, que em um ato de amor pela humanidade, mandou seu filho para anunciar a sua Palavra.

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br