Edital Elisabete Anderle – Santa Catarina

Assinatura de Editais
Governador Luiz Henrique ressalta papel do Estado na democratização do acesso à Cultura

Florianópolis (3/11/2009) – O governador Luiz Henrique reforçou, nesta terça-feira (3), a importância de descentralizar os recursos para as iniciativas culturais em todas as regiões do Estado. “Devemos valorizar as iniciativas isoladas dentro de uma visão de arquipélago”, disse, durante a entrega dos recursos aos 189 contemplados pelo edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura. Na solenidade, foram assinados os convênios do Programa Pontos de Cultura, firmado através de parceria com o Governo Federal. O governador destacou que todas as 36 secretarias de Desenvolvimento Regional contam com pelo menos um dos 60 pontos beneficiados pelo programa.

A cerimônia contou com a presença do ministro da Cultura, Juca Ferreira, e foi realizada no Teatro Governador Pedro Ivo, junto ao Centro Administrativo do Governo do Estado, em Florianópolis. Em seu pronunciamento, o ministro colocou em evidência o papel do Estado na disseminação dos bens culturais. “Não adianta apenas incluir a população mais pobre na economia sem dar a ela as condições de acesso à Cultura”, afirmou Barreto. Segundo ele, mais de 80% dos recursos financiados através da Lei Rouanet beneficiam projetos de apenas duas cidades do País. De acordo com o ministro, o setor cultural responde por 5% do Produto Interno Bruto do País e absorve 6% dos trabalhadores com emprego formal no País.

Os convênios para estabelecimento de uma rede com 60 Pontos de Cultura em Santa Catarina contam com recursos de R$ 10,8 milhões, enquanto os contratos dos vencedores do edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura receberam investimento de mais de R$ 6 milhões em recursos provenientes do Fundo Estadual de Incentivo à Cultura (Funcultural). O Edital Elisabete Anderle selecionou 189 projetos que contam com R$ 6 milhões para serem executados nas áreas de Música, Artes Visuais, Teatro, Letras, Patrimônio Cultural, Dança e Artes Populares.

Durante a cerimônia, o secretário da Cultura, Esporte e Turismo, Gilmar Knaesel, destacou a importância dos editais na política de incentivo à Cultura em Santa Catarina. Além do apoio com recursos financeiros aos produtores culturais, ele ressaltou os investimentos feitos pelo Governo do Estado para ampliar a infraestrutura necessária ao setor cultural, como a construção de oito novos teatros, além de quatro em reforma, as reformas do teatro do Centro Integrado de Cultura e o teatro de Timbó. Knaesel enfatizou também qie Santa Catarina foi o primeiro Estado do País a assinar os convênio com o Ministério da Cultura para o programa Pontos de Cultura.

O Edital dos Pontos de Cultura representa um investimento de R$ 10,8 milhões no setor. O repasse dos recursos às entidades culturais sem fins lucrativos que tiveram seus projetos selecionados será de R$ 60 mil por ano, durante três exercícios, o que totaliza R$ 180 mil para cada ponto. O edital beneficiará 36 municípios catarinenses e tem por objetivo implantar uma rede de inclusão social e construção de cidadania. Cada ponto de cultura deverá funcionar como um instrumento de pulsão e articulação de projetos já existentes nas comunidades de Santa Catarina, desenvolvendo ações continuadas em pelo menos uma das seguintes áreas: Culturas Populares, Grupos Étnico-culturais, Patrimônio Material, Audiovisual e Radiodifusão, Pensamento e Memória, Culturas Digitais, Gestão e Formação Cultural, Expressões Artísticas e/ou Ações Transversais.

A presidente da Fundação Catarinense de Cultura, Anita Pires, ressaltou os benefícios do Edital Elisabete Anderle na ampliação das oportunidades de criação, distribuição e fruição dos bens culturais em Santa Catarina, estendendo o acesso à Cultura. O secretário Gilmar Knaesel ressaltou também que o Estado vai cumprir este ano o orçamento de R$ 40 milhões para o setor cultural, com 0,5% da receita bruta destinada à Cultura.

Dentre as autoridades que acompanharam a cerimônia estavam a senadora Ideli Salvatti; os deputados federais Celso Maldaner e Cláudio Vignatti; os deputados estaduais Pedro Baldissera e Vânio dos Santos; além do presidente do Conselho Estadual de Cultura, Péricles Prade.

Informações adicionais – Jornalista Evandro Baron, telefone (48) 8843-5704 e 3221-3528, e-mail evandro@secom.sc.gov.br

Secretaria de Estado de Comunicação

Fonte: www.fcc.sc.gov.br

O projeto Pêssanka – Artesanato Ucraniano, Brasileiro, Catarinense é um dos contemplados no Edital Elisabete Anderle.

Edital Elisabete Anderle

28/10/2009 – Será realizada na quarta-feira, dia 04 de novembro, às 10 horas, no Teatro Governador Pedro Ivo, junto ao Centro Administrativo do Governo do Estado, em Florianópolis, a assinatura dos contratos dos 189 projetos vencedores do Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, em cerimônia que contará com a presença do governador Luiz Henrique da Silveira, entre outras autoridades. Promovido pelo Governo do Estado de Santa Catarina, com apoio da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e Conselho Estadual de Cultura (CEC), o edital representa um investimento de mais de R$ 6 milhões no setor. “Com o edital estamos ampliando as oportunidades de criação, distribuição e fruição dos bens culturais em nosso Estado, estendendo o acesso à cultura para as mais diversas comunidades”, acredita a presidente da FCC, Anita Pires. As inscrições, gratuitas, ficaram abertas entre 26 de outubro e 13 de março de 2009. Ao todo, foram recebidas 1.428 inscrições para as sete grandes áreas abarcadas no edital. Após análise da documentação, 1.083 projetos foram habilitados a continuar concorrendo aos prêmios. A área com mais inscrições foi a de Música, com 267 inscritos, seguida de Artes Visuais (215), Teatro (165), Letras (164), Patrimônio Cultural (107), Dança (87) e Artes Populares (78). Uma comissão julgadora formada por 21 membros trabalhou na seleção. “Este edital foi reconhecido como uma das melhores ideias do país para valorizar o trabalho dos produtores culturais. Todos os representantes do júri manifestaram-se nesse sentido e levaram esse modelo para seus estados a fim de materializá-lo”, afirma o presidente do CEC, Péricles Prade. “Os avaliadores ressaltaram a quantidade de projetos. Tivemos um extrato muito bom do que o segmento cultural de Santa Catarina pode produzir em termo de arte e cultura”, completa o presidente da Comissão de Organização e Acompanhamento do edital, Leone Silva. Voltado à produção, circulação, pesquisa, formação, preservação e difusão cultural em Santa Catarina, o Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura contempla sete áreas culturais, que foram subdivididas em segmentos. A área de Artes Populares foi subdividida nos segmentos Folclore e Artesanato e Arte Circense. Artes Visuais contemplará Projetos e Obras e Bolsas de Execução. Na Dança, recursos para Produção e/ou Circulação. Na área de Letras, subdivisão nos segmentos Publicações e Escritor na Escola. Para Música, recursos para gravação de CDs e DVDs. Na área de Patrimônio Cultural, investimento nos segmentos Material e Imaterial, Museus e Acervos. Em Teatro, prêmios para Circulação, Montagem e Pesquisa. O pagamento aos proponentes dos 189 projetos selecionados será efetuado em duas parcelas de 50%, sendo a primeira depositada logo após a assinatura do contrato, e a segunda até 28 de fevereiro de 2010. A documentação exigida para assinatura do contrato, informações sobre os jurados e a lista completos dos projetos selecionados estão disponíveis no site da Fundação Catarinense de Cultura (www.fcc.sc.gov.br). — Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura (FCC) Equipe: Deluana Buss e Sarah Westphal Fone: (48) 3953-2383 / 8843-8378 Email: imprensa@fcc.sc.gov.br Site: www.fcc.sc.gov.br Twitter: http://twitter.com/CulturaSC.

O Projeto “Pêssanka – Artesanato Ucraniano, Brasileiro, Catarinense” é um dos selecionados. Também estaremos lá assinando o contrato!

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

Projeto “Pêssanka – Artesanato Ucraniano, Brasileiro, Catarinense”

Santa Catarina: Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura

O projeto “Pêssanka – Artesanato Ucraniano, Brasileiro, Catarinense” foi um dos vencedores do Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, promovido pelo Governo do Estado de Santa Catarina. “Este edital foi reconhecido como uma das melhores idéias do país para valorizar o trabalho dos produtores culturais. Todos os representantes do júri manifestaram-se nesse sentido e levaram esse modelo para seus estados a fim de materializá-lo”, afirma o presidente do CEC, Péricles Prade. “Os avaliadores ressaltaram a quantidade de projetos. Tivemos um extrato muito bom do que o segmento cultural de Santa Catarina pode produzir em termo de arte e cultura”, completa o presidente da Comissão de Organização e Acompanhamento do edital, Leone Silva. Voltado à produção, circulação, pesquisa, formação, preservação e difusão cultural em Santa Catarina, o Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura contempla sete áreas culturais, que foram subdivididas em segmentos. O projeto “Pêssanka – Artesanato Ucraniano, Brasileiro, Catarinense” de autoria de Vilson José Kotviski, foi contemplado na categoria de artes populares – folclore e artesanato, e promoverá dez oficinas de pêssanka em diversas localidades como: Pintadinho e Jangada (Porto União), Irineópolis, Caçador, Três Barras, Canoinhas, Mafra, São Bento do Sul, Papanduva e Itaiópolis. Outras informações em: http://www.fcc.sc.gov.br/

Cultura ucraniana (pêssanka) – programa da Eliana (Tudo é Possível – TV Rede Record)

Em 2007 participamos do programa “Tudo é Possível” da apresentadora Eliana (que inclusive possui ascendência ucraniana por parte de mãe – sobrenome Michaelichen). Indo ao ar em rede nacional o programa trouxe um grande retorno de acessos ao nosso site (www.pessanka.com.br), e foi uma grande realização em relação ao trabalho com as pêssankas.
A produção do programa nos encontrou através do site, e disseram que queriam mostrar algo diferente na Páscoa, voltado à cultura. Após os contatos iniciais, foi definido que viriam gravar o processo de pintura em nossa cidade e depois iríamos para São Paulo para gravar no palco.
Como tínhamos dado um curso de pêssanka no fim de semana no Clube Ucraniano de União da Vitória, e a filmagem aconteceria na segunda-feira, resolvemos gravar neste local . Veio um produtor de São Paulo, e um cinegrafista e um motorista de Curitiba.
Na semana seguinte fomos de carro até Curitiba e pegamos um avião até São Paulo. Incluisve vivíamos a crise aérea, quando aconteciam muitos atrasos – éramos para chegar em SP as 13h00, chegamos as 15h00, e só deu tempo de arrumar as coisas e ir para o palco, pois era grande o atraso. Conhecer a gravação de um programa de auditório foi uma experiência muito interessante!
Na entrevista, foram várias as perguntas feitas, inclusive a cantora Cláudia Leite me fez uma pergunta sobre a camisa bordada, e após confirmar que era um traje ucraniano, declarou que se identificava muito com os ucranianos por causa de Clarisse Lispector, uma das grandes escritoras Brasileiras, nascida na Ucrânia. As perguntas de Claudia Leite não foram ao ar. Um dos diretores me disse ao final da entrevista: “cara, a Eliana gostou mesmo! Passou um monte do tempo previsto para a entrevista com você, foi muito legal, ela nunca passa do tempo, só quando gosta mesmo do assunto”.
Para quem quiser lembrar ou ver o que passou exatamente no dia da Páscoa de 2007, está aí o vídeo! A experiência e o tratamento que o pessoal da Rede Record nos prestaram em todo o processo foi excepcional, e só temos boas lembranças desta aventura. (Vilson e Oksana)

Vilson José Kotviski
www.pessanka.com.br

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=60OHWdfIUfg]

Pêssanka – arte ucraniana

Pêssankas de Vilson José Kotviski
Pêssankas de Vilson José Kotviski

Na história do povo ucraniano sempre esteve presente uma tradição de colorir ovos na época em que o Sol voltava triunfante, eliminando a neve que cobria a rica terra negra da Ucrânia. Em escavações arqueológicas, foram encontrados indícios desta arte a mais de 3.000 anos antes de Cristo, sendo que naquela época, eram utilizadas ferramentas muito rústicas para se confeccionar uma pêssanka. A explicação para o interesse do ser humano antigo pelo ovo, está no fato do mesmo possuir uma magia incrível, pois de uma forma simples e rude, surgiria a vida.

Com o passar dos anos, as ferramentas gradativamente evoluíram e com elas o homem conseguiu melhorar suas condições materiais e também os resultados da suas pinturas em ovos, surgindo melhores definições daquilo que desejava expressar.

Os ucranianos, em paridade com todos os povos antigos, veneravam a natureza e os regentes dos elementos. Assim como outros povos antigos veneravam o Sol com Apolo e seu carro puxado por leões, os ucranianos reconheciam no mesmo astro, o Dajbóh, e à ele ofereciam homenagens, pois novamente traria luz e calor para a Terra. O verde substituiria o branco da neve, as flores voltariam a desabrochar, as árvores ofereceriam seus frutos novamente e o povo poderia trabalhar a terra para obter seu sustento. A festa da Primavera era um evento alegre, era acendida uma grande fogueira no meio da aldeia e todos comemoravam a chegada de Dajbóh, no exato momento do Solstício de Primavera. Desde o início deste dia o povo estava em festa. Oferecia seus presentes ao regente Dajbóh e entre os mesmos estavam as pêssankas. Nelas estavam gravados os raios de luz que seriam oferecidos à terra, a partir desta importante data do povo antigo. Também nesta festa eram oferecidas pêssankas aos entes da natureza, fazendo seus agradecimentos pelas colheitas e também firmando seus pedidos para que a terra continuasse produzindo aquilo que necessitavam para viver. Estas pêssankas eram enterradas no campo, nas lavouras, pois deveriam ser presentes aos amados entes da natureza. Neste tempo anterior ao cristianismo, o povo tinha suas crenças voltadas para aquilo que via e sentia. Era uma época em que mais do que nunca, o ucraniano estava ligado à natureza, sua fonte de vida e energia. Em 988, através do Príncipe Volodymir, a Ucrânia é batizada
nas margens do Rio Dnipró, passando a adotar o cristianismo como religião oficial. O povo absorveu essa mudança, mas não aceitou abandonar seus antigos rituais, como as Festas da Primavera. A solução encontrada pelo clero foi a adaptação deste antigos costumes, como símbolos cristãos, ou seja, permitiam e até apoiavam o povo à manter essas tradições consideradas pagãs, mas lhes incutiam um simbolismo correlato ao cristianismo. A antiga e tradicional Festa da Primavera, transformou-se na Páscoa cristã, por se tratar da mesma época. O povo continuava com os antigos festejos, mas mudava-se gradativamente o sentido da ocasião festiva.As pêssankas, continuaram existindo, o povo não deixou o costume de colorir ovos para expressar seus sentimentos, mas o clero religioso fez com que se abandonassem as crenças nos entes da natureza, deviam ser extintos os costumes tidos como pagãos. As pessoas passaram então a fazer pêssankas para dar aos parentes
e amigos respeitados, na época da Páscoa, para demonstrar tudo aquilo que desejavam para seus entes queridos. As pequenas obras de arte também passaram a aparecer em datas importantes, como casamentos e nascimentos, como materialização das boas intenções que se queria expressar. Na conturbada história da Ucrânia, o povo passou por muitos períodos de instabilidade social, tendo muitas vezes a miséria e a opressão imperando sobre seus lares. Domínios russos, poloneses, austríacos, húngaros, duas guerras mundiais, o comunismo … e as pêssankas continuam acompanhando a vida desta gente, que veio para o Brasil em busca de um futuro melhor para seus filhos, trazendo na bagagem uma cultura milenar, que hoje respira a liberdade. A Ucrânia, em 1991 finalmente adquiriu sua independência, exigida pela população que saiu às ruas e hoje, além da seu valor cultural, simbólico e artístico, as pêssankas passaram a ser um símbolo de longevidade para uma Ucrânia livre e independente.

Vilson José Kotviski