24 de agosto – dia da comunidade ucraniana no Paraná, Santa Catarina e no Brasil

Agora oficialmente o dia 24 de Agosto é:

– Dia da Comunidade Ucraniana no Paraná
– Dia da Imigração Ucraniana em Santa Catarina
– Dia Nacional da Comunidade Ucraniana
 

 

Projeto de Aguiar cria Dia da Imigração Ucraniana

Imagem

O deputado Antônio Aguiar é o autor do Projeto de Lei nº 442/07, que institui o Dia Estadual da Imigração Ucraniana, a ser comemorado no dia 24 de agosto.

A Mesa Diretora da Assembléia marcará, anualmente, sessão solene para comemoração desta data. O parlamentar informa que os ucranianos começaram a chegar ao Brasil em 1891, trazendo o estilo bizantino de suas igrejas, seus trajes bordados, comidas e danças típicas. Em Santa Catarina os descendentes de eslavos habitam cidades como São Bento do Sul, Mafra e Itaiópolis.

Os ucranianos diferenciam-se de outros povos eslavos pela língua, costumes e origem histórica. A Ucrânia proclamou a sua Independência no dia 24 de Agosto de 1991, daí a sugestão para a data comemorativa no estado. Na sua maioria, os imigrantes ucranianos chegados aqui se dedicaram à agricultura. Experientes cultivadores do trigo, não se restringiram a essa cultura, pois passaram a exercer atividades nos setores do cultivo do milho e feijão, com grande destaque para a fumicultura em Itaiópolis.

Aguiar esclarece que a outra parte, que não se dedicou à agricultura, voltou-se para diversas atividades industriais, destacando-se na fabricação de móveis, em atividades empresariais, em especialidades técnicas e no exercício de profissões liberais. Oriundos de um país rico em tradições artísticas, com um folclore dos mais admirados em toda a Europa, os ucranianos que aqui chegaram não poderiam fugir à herança cultural recebida de seus antepassados.

Fonte: (Rubens Vargas/Divulgação Alesc)

http://www.portaldecanoinhas.com.br/noticias/5003

Lula Sanciona Que Cria o Dia Nacional da Comunidade Ucraniana

De autoria do deputado federal Ângelo Vanhoni, a lei que cria o Dia Nacional da Comunidade Ucraniana foi sancionada no dia 19/01/2010 pelo Presidente Lula. Atendendo a reivindicação da comunidade ucraniana, que em sua grande maioria, vive no Paraná, o projeto de lei institui o dia 24 de agosto como “Dia Nacional da Comunidade Ucraniana”. Foi nesta data que o parlamento ucraniano declarou a Independência da Ucrânia.

 A proposta elaborada pela Representação Central Ucraniana Brasileira foi apresentada pelo Deputado Angelo Vanhoni em 2008. “É pela noção integral de patrimônio cultural, que propus  24 de agosto como o Dia Nacional da Comunidade Ucraniana como data simbólica para reconhecer a expressão cultural destas comunidades que perpassa pelas tradições, códigos e significados do povo ucraniano.” explica Vanhoni. O Brasil abriga hoje a maior comunidade ucraniana da América Latina, contando com aproximadamente 500 mil pessoas, entre ucranianos e descendentes, 75% deles vivendo em sua imensa maioria no estado do Paraná. 

 O projeto de lei  se respalda no § 2.º do Art. 215 da Constituição Federal, que dispõe sobre a fixação de datas comemorativas de alta significação para os segmentos étnicos nacionais. Afirma a Constituição Federal que “o Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais.” O projeto de lei também baseia-se pela Convenção para Salvaguarda do Patrimônio Imaterial em 2003, da UNESCO, na qual se reconhece “a profunda interdependência entre patrimônio cultural imaterial e o patrimônio material cultural e natural.”

Fonte: Representação Central Ucraniano Brasileira – www.rcub.com.br

LEI Nº 12.209, DE 19 DE JANEIRO DE 2010.

Institui o dia 24 de agosto como o Dia Nacional da Comunidade Ucraniana, com fundamento no § 2o do art. 215 da Constituição Federal. 

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: 

Art. 1o  É instituído o dia 24 de agosto como Dia Nacional da Comunidade Ucraniana, passando a integrar o calendário oficial da República Federativa do Brasil. 

Art. 2o  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. 

Brasília, 19 de janeiro de 2010; 189o da Independência e 122o da República. 

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

Korovai (коровай) – pão tradicional do casamento ucraniano.

Korovai - Casamento de Rosana e Igor Vodiani (2009) - União da Vitória-PR

O korovai é um dos elementos fundamentais do casamento tradicional ucraniano. O mesmo consiste num grande pão doce, arredondado, que recebe na parte superior adornos feitos com a própria massa, em forma de lua e estrela que são representações do casal. Também podem receber outros adornos como sóis, aves, animais, pinhas, ramos de trigo, flores e frutos.
Suas origens são muito antigas e provém das crenças nas propriedades mágicas dos grãos na era pré-cristã.
No centro é colocada uma pequena árvore (que nas colônias paranaenses é um pinheirinho – araucária), enfeitada com diversas fitas, cuja simbologia está ligada á vida agrícola, sendo a representação da árvore da vida.
A dança do korovai, ao som das “kolomeikas” é um dos principais momentos dos casamentos ucranianos, onde a alegria é contagiante.
O korovai é um símbolo do sol e do amor que deve habitar em suas vidas,é uma homenagem aos noivos e uma bênção para o seu casamento.

vilson@pessanka.com.br

Início de Ano da Comunidade Ucraniana

Comunidade ucraniana do Barreiros, União da Vitória-PR

No dia 06 de janeiro, para os ucranianos católicos é celebrada a festa da Epifania, com a realização da bênção da água. Cada família leva um pouco de água benta para casa, para o que o padre a utilize durante as visitas para as benções dos lares em Janeiro e Fevereiro, tradicional costume da comunidade ucraniana.

Pe. Josafat Roiko na celebração da bênção da água.

Já para os ucranianos cristãos ortodoxos, que seguem o calendário juliano, o Natal foi celebrado no dia 07 de janeiro, seguindo posteriormente também a festa da Epifania.

Em todas as igrejas ucranianas da região se percebe um grande movimento das pessoas em busca da água benta, que levam para suas casas e a mantém durante o ano, até o próximo ano.

As fotografias mostram momentos da bênção da água na comunidade ucraniana do Barreiros, uma das antigas e marcantes igrejas em madeira da nossa região.

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

Porto União-SC / União da Vitória-PR

Programação do 37º Congresso da Juventude Ucraíno-Brasileira

CONGRESSO/ 2010

CRONOGRAMA 06-07 DE FEVEREIRO DE 2010

06/02 – SÁBADO, EM DORIZON:

8 h.: Recepção dos congressistas, inscrições, café. 9 h.: Abertura Oficial: Composição da mesa Hinos da Ucrânia, do Brasil, da Juventude Palavra do Presidente do Congresso Palavra do Presidente da AJUB Palavra do Presidente da RCUB Palavra das autoridades Palavra do Bispo 10 h.: Palestra: Herança histórico-politica da Com. Ucraniana do sul do PR. – Mariano Czaikovski, Cônsul Honorário Herança cultural: a arquitetura de casas e igrejas – Fábio e Marialva: Arquibrasil 11:15 h.: Partida para a SERRA DO TIGRE Almoço 13:15 h.: Deslocamento para as casas. Oficinas. – História: – Formação de famílias – Rafaela Turek – Função da Igreja: religiosidade – Dom Daniel – Função social: inculturação – Mariano Czaikovski – Tradições: – Natal: kolhade – Irmã Celina – Páscoa: hailkê – Catequistas – Casamentos: kolomeikas, korovai…: Mariano Machula – Folklore: – Andrey Choma e equipe 16:15 h.: Plenário: SERRA DO TIGRE 17:00 h.: Retorno para DORIZON 17:30 h.: Alojamentos – Banho 19:00 h.: Janta 20:30 h.: Noite Cultural – Teatro. Folclore.

07/02: DOMINGO – DORIZON 07:30 h.: Café 08:30 h.: Plenário: AJUB 09:15 h.: PROJETOS: – PONTO DE CULTURA: Marcos Nogas, Curitiba – RECUPERAÇAO DA CULTURA ESLAVA NO SUL DO PARANA: Universidade Unicentro, Irati 11:15 h.: Divina Liturgia 12:30 h.: Almoço – Encerramento do Congresso.

Com um pouco de atraso, mas com muito entusiasmo e otimismo, enviamos o cronograma do Congresso, para os dias 6 e 7 de fevereiro. Esperamos contar com a presença de todos. Esperamos receber bem a todos. Sejam bem vindos. Nosso e-mail: congresso37@hotmail.com Rafaela Turek, Pres. Tatiane Prochera, Vice-pres.

O Festival Nacional de Danças Ucranianas: uma análise necessária (ou desnecessária?)

O Festival Nacional de Danças é sem dúvida o grande momento da comunidade ucraniana no Brasil, onde cultura é demonstrada de forma muito bela através da dança folclórica. Desde que a idéia de reunir os grupos foi lançada pela AJUB – Associação da Juventude Ucraíno-Brasileira, na época sediada em União da Vitória-PR, já aconteceram 16 edições. Até a oitava edição, o evento se chamava “Festival de Hopak”, mas acabou saturando, pelo fato de todos os grupos apresentarem o mesmo estilo de dança. Então a partir da nona edição, foi colocada como regra que somente o grupo sede poderia apresentar o previt e o hopak, e os demais grupos deveriam apresentar números distintos, explorando toda a riqueza das regiões e do folclore ucraniano. Essa mudança foi para o bem! Muitos grupos evoluíram com isso, passaram a pesquisar mais, desenvolver novos trajes e coreografias, tudo isso enriqueceu muito o evento. Agora após mais oito anos, precisamos de um novo combustível para o festival. Nas conversas de bastidores percebemos uma certa insatisfação entre os dirigentes, e que precisamos de mudanças.

Vamos analisar primeiro o Festival em Maringá. Acredito que a comunidade local se esforçou ao máximo, fez o que pode e é louvável a coragem de assumir o evento. Porém precisamos ser críticos e procurar melhorar os pontos negativos. Por exemplo, os alojamentos não estavam em condições adequadas, com salas sujas, chuveiros insuficientes, falta de papel nos banheiros, e principalmente falta de um responsável do evento para dar assistência aos grupos no alojamento. Outro ponto crítico que deve ter uma atenção especial é em relação aos discursos. Se forem imprescindíveis, que estes sejam breves. Também é inaceitável permitir discursos após o evento ter iniciado, pois o que ocorreu em Maringá foi um balde de água fria no público e nos próximos grupos a se apresentarem. Também realizar intervalo no meio do evento é desnecessário, pois já tradicionalmente a duração é longa, sendo necessário agilizar as coisas. Algumas decisões acabam afetando muito as coisas, o fato dos dirigentes comparecerem e não ser realizada a reunião no horário previsto acabou de forma desastrosa. Havia muita coisa a ser dita, a maioria do pessoal estava ávido por colocar seus pontos de vista na reunião, mas por fim a mesma nem chegou a acontecer. O Barvinok já tinha confirmado anteriormente para o festival do ano que vem e o festival de 2011 já tem pretendentes, mas isso só será definido para frente.

Esses são fatos específicos do último festival, que no geral foi um bom evento, a estrutura do teatro foi fantástica e a primeira participação de um grupo vindo diretamente da Ucrânia abrilhantou muito o espetáculo! Os grupos onde se esperam bons números cumpriram seu papel! O grupo estreante foi bem, mas teve grupo muito desorientado também. Todos são amadores, mas devem ter o máximo cuidado para fazer o melhor possível, ninguém sabe tudo, mas tem muita gente disposta a ajudar. O Verkovena é um belo exemplo de boa vontade em pesquisar, solicitar apoio e apresentar ótimos resultados em pouco tempo de vida.

Agora voltando a analise geral dos Festivais, considero que precisamos implantar algo novo, que traga mais ânimo para os grupos se esforçarem para o evento, que como todos sabem custa caro aos caixas das entidades. Colocando uma sugestão de um festival competitivo, mas analisando a fundo, acredito que seria um tipo no pé, mas podemos pensar em uma avaliação de cada grupo, onde ninguém sai vencedor mas que leva para casa sugestões para melhorar e desenvolver. Poderia ser composto um júri específico para colocar observações para os grupos, composto de pessoas com conhecimento de dança, de arte, de cultura e especificamente de folclore ucraniano. Participei de um evento de dança como jurado e achei muito interessante a idéia! Fica como sugestão para o próximo organizador e também para a AJUB , que sempre foi a entidade de referência dos festivais. A organização de uma entidade para organizar os festivais, não aconteceu… talvez para frente possa vir a existir independente ou mesmo integrando e fortalecendo a AJUB. Minha opinião é de que devemos nos preocupar com o Festival e procurar melhorar a cada ano. Quem acha que está tudo bem, que acha desnecessário analisar este que é o mais belo evento da nossa comunidade, que fique omisso (como sempre).

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

Presidente Folclore Ucraniano Kalena/Clube Ucraniano, Diretor Associação dos Amigos da Praça da Ucrânia, Diretor Cultural Comissão Administrativa Paróquia São Basílio Magno, 4º Vice-presidente Representação Central Ucraniano-Brasileira

A tradição e os costumes do Natal entre os ucranianos

O Natal é um acontecimento todo especial para a humanidade, sendo a época da renovação das forças espirituais, que o Criador nos emite a cada ano. E neste momento especial devemos abrir nossos corações para auferir desta dádiva, que vem nos dar novo ânimo para a caminhada, uma certeza de que não estamos sozinhos, pois Deus está conosco.

Desde tempos remotos, muito antes do nascimento de Cristo, os povos comemoravam a época de Natal, preparando mesas fartas com o que de melhor produziam, como forma de oferenda ao Criador que os permitiu que colhessem os belos frutos do trabalho. As pessoas tinham consciência da renovação da força de Deus sobre a terra e que desta forma seriam agraciados novamente com a renovada força que vinha do alto.

Com o tempo, infelizmente muito foi se apagando e com o nascimento do Filho de Deus, o povo passou a recuperar a época das vivências da renovação da criação, agora simbolizada pela chegada do próprio Senhor entre os homens.

Entre os ucranianos o Natal é rico em manifestações de cunho espiritual, sendo um momento de muita cultura e beleza. Na véspera, inicia-se um ritual de renovação nos lares, onde é realizada uma grande limpeza de todos os ambientes, para a chegada do momento sagrado. Em alguns lugares, a pessoa mais velha da família percorre todas as dependências da propriedade (deste a casa até os estábulos), levando junto o pão e o sal, rezando e benzendo com água benta para eliminar todas as impurezas que porventura estejam impregnadas nos ambientes.

Antes da primeira estrela surgir no firmamento, é trazido para o lar o “didúh” (feixe de trigo), como símbolo do agradecimento pelos alimentos e pedindo que tenhamos força para trabalhar e continuar produzindo aquilo que necessitamos para a nossa subsistência. O “diduh” é colocado em local de destaque, simbolizando também os entes falecidos. Logo também é trazido o feno e colocado sob a toalha da mesa, como recordação de que Cristo nasceu em uma humilde manjedoura e que nós também temos de ter a humildade para viver em conforme as Leis de Deus.

Quando surge a primeira estrela no céu, simbolizando a Estrela de Belém, chegou o momento de todos se reunirem em torno da mesa e participar do Schiatei Vétcher (Santa Ceia). São entoadas as kólhadas (cantos natalinos) e cada pessoa prova das doze iguarias típicas, que sibolizam os doze meses do ano e também os apóstolos de Jesus. Após a ceia, alguém leva um pouco de cada alimento aos animais da casa, pois eles também são criaturas de Deus e devem tomar parte desse acontecimento. E enfim todos vão à igreja, mas a mesa continua posta, pois acredita-se que nesta noite os mortos da família vêm se servir, fazendo também a sua ceia especial de Natal.

Na igreja continuam a ser entoadas as kólhadas, especialmente a linda melodia Bóh Previtchenei (Saudemos o Senhor), e o cumprimento entre as pessoas passa a ser: Hrestoc Rochdaytcha! (Cristo Nasceu) e responde-se Slavimo Ioho! (Glórifiquemos à Ele).

Posteriormente à celebração são formados grupos de cantores que vão em todas as casas dos membros da comunidade entoar as kólhadas anunciando a chegada do Cristo Salvador, esta tradição dos kolhadneks é abrilhantada pelo Vertép espécie de teatrinho ambulante, onde os cantores vestem os trajes típicos ucranianos e levam a representação da Estrela de Belém para anunciar a boa notícia à todos.

Dentre os povos, sempre existiram muitos costumes natalinos, mas hoje vemos que muito se perdeu, ficando o Natal desprovido do seu sentido original, ou seja, é evidenciado o comércio, e o triste e patético personagem fictício, que somente serve para desviar a atenção do acontecimento espiritual. Seria bom se as pessoas abrissem seus espíritos e voltassem a atenção para o verdadeiro sentido do Natal, intuindo seu valor e transmitindo aos filhos a alegria de estar em sintonia com o Criador, que em um ato de amor pela humanidade, mandou seu filho para anunciar a sua Palavra.

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

Mensagem de Fim de Ano da Representação Central Ucraniano-Brasileira – resumo de atividades

A toda a comunidade ucraniana.
 
Neste ano de 2009 fomos prestigiados com a presença, no mês de Janeiro,  em nosso VII Congresso, do Presidente Congesso Mundial do Congresso dos Ucriaanos Eugen Cholij, do Senador Alvaro Dias, do Deputado Feral Angelo Vanhoni e dos Deputados Estaduais Felipe Lucas, Pedro Ivo Ilkiv e Pericles Holeben de Mello. Estiveram presentes no IV Encontro Sul Americano numerosa delegação da comunidade ucraniana da Argentina liderada por Eugenio Juswa e representante da comunidade ucraniana do Paraaguai.
 
Nos visitou no mês de abril o Ministro da Cultura do Brasil Juca Ferreira nas cidades de Mallet, Irati e Prudentópolis dizendo a todos que devemos preservar nos tradições e costumes porque essa é também uma riqueza do Brasil.
 
No mês de Dezembro o Presidente da Ucrânia Victor Yushchenko e o presidente da Republica Federativa do Brail Luiz Inácio Lula da Silva assinaram declaração oficial entre os dois países onde ficou estabelecido:   
27. Ao recordar o elo humano da imigração que une os dois países, os dois Presidentes expressaram seu apoio às atividades da comunidade ucraniana no Brasil e da comunidade brasileira na Ucrânia como importante forma de preservação e enriquecimento da cultura e das tradições de ambos os países e do caráter multinacional das sociedades brasileira e ucraniana. Reafirmaram seu apoio às comemorações, em 2011, num e noutro país, dos 120 anos da imigração ucraniana para o Brasi
 
Entre os dias 9 e 19 de Dezembro tivemos a visista do Ministro da Cultura e Turismo da Ucrânia Vasyl Vovkun, acompanhado do grupo Folcórico Procuttia, visitando a comunidade ucraniana em Curitiba, Irati, Prudentópolis, Maringá, Foz do Iguaçu e Paranaguá.
 
Inauguramos o monumento do Holodomor dia 11 de Dezembro junto ao Memorial Ucrraniano de Curitiba.
 
Esperamos contar com as energias de todos em 2010 para celebrarmos com gala o 120º aniversário da imigração ucraniana para o Brasil em 2.011.
 
Feliz Natal e Próspero Ano Novo.
 
Vitório Sorotiuk
Presidente da Representação Central Ucraniano Brasileira.
www.rcub.com.br

Cantor Victor Morozov e Paulo Coelho – vestindo camisa bordada ucraniana

Pesquisando alguns sites de músicas ucranianas natalinas (kólhadas), encontrei o site do cantor ucraniano Victor Morozov, que inclusive já esteve no Brasil, pelo que diz no site.

E ainda encontrei uma interessante fotografia dele com o escritor brasileiro Paulo Coelho, vestindo uma camisa bordada. O escritor é conhecido no mundo inteiro e deve ter agradado o pessoal por lá!

Vistem o site do  cantor: http://www.victormorozov.com, dá para baixar algumas músicas.

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br

Visita ao Brasil do Ministro da Cultura da Ucrânia Sr. Vasyl Vovkun

O ministro de Cultura e Turismo da Ucrânia, Vasyl Vovkun, visitou Itaipu na manhã desta segunda-feira (14). Ele e sua comitiva foram recebidos pelo engenheiro paraguaio Pedro Chudyk Lylyk (AS.TD), no Centro de Recepção de Visitantes (CRV). Descendente de ucranianos, Lylyk exercitou o idioma de seus ancestrais mostrando a binacional ao ministro e à delegação que o acompanhava. Entre eles, Yurij Savchuk, seu assessor, Larysa Myronenko, cônsul da Ucrânia no Paraná, e Vitório Sorotiuk, presidente da Representação Central Ucraniano Brasileira.

O ministro veio ao Brasil em visita oficial, por recomendação do presidente ucraniano, Victor Yushchenko, que se encontrou

com o presidente Lula em Kiev, no começo de dezembro. Os dois líderes assinaram acordos nas áreas de economia, cultura e turismo.

Entre eles, um que prevê a eliminação de vistos para facilitar o intercâmbio entre os dois países e outro que estabelece voos diretos entre Rio de Janeiro e Kiev.

       
Durante duas semanas, a missão de Vovkun é conhecer melhor o Brasil, sobretudo os locais onde a herança da cultura ucraniana é mais forte.

Desde a semana passada o ministro cumpre intensa agenda no Paraná, que concentra a maior colônia da Ucrânia no País. Antes de chegar

a Foz do Iguaçu, ele passou por Curitiba, Prudentópolis e Maringá.

Fonte: Representação Central Ucraniano Brasileira www.rcub.com.br