Os 120 anos da Imigração e o XVII Festival Nacional de Danças Ucranianas – RCUB

O Brasil é um caleidoscópio étnico e cultural resultado da variedade das imigrações nos dois últimos séculos. Todas as correntes imigratórias trouxeram em suas bagagens seus instrumentos de trabalho e a esperança de uma vida próspera e saudável. Até mesmo os que foram forçados a imigrar. Cada qual carregou consigo sua maneira de produzir, seus hábitos e costumes, arte e religiosidade. A contribuição ucraniana tem início no ano de 1891. A primeira grande onda imigratória ucraniana realiza-se com intensidade nos anos de 1895 e 1896. A segunda onda tem início do século XX e a terceira após a segunda guerra mundial. Estima-se atualmente que os ucranianos sejam aproximadamente 500.000, localizados em mais de 80% no Estado do Paraná, em segundo lugar em Santa Catarina e depois em São Paulo e Rio Grande do Sul. Influenciaram o processo produtivo com o plantio do trigo e organização de cooperativas e a organização de sociedades culturais: clubes, escolas e igrejas. Hoje, no sul do Brasil, cúpulas bizantinas de 264 igrejas, ladeadas por comunidades que rezam na língua ucraniana, marcam a paisagem. Vinte e quatro grupos folclóricos com coloridos trajes mantém as tradições das danças. A arte da pessânka, dos bordados e pratos típicos de sua culinária integram a existência cotidiana. Eventos sociais, solenidades cívicas e ritos religiosos perpetuam a memória histórica. É um povo integrado e formador da sociedade brasileira, em processo de miscigenação com todas as demais etnias. Já na segunda guerra mundial muitos integraram a Força Expedicionária Brasileira para dar seu sangue pela nova pátria e na atualidade ocupam todo tipo de profissões e participam em todas as esferas da vida econômica, política, social e cultural. A vida brota com as cores reveladas pelos pincéis de Miguel Bakun ou pelos versos da poetisa Helena Kolody. A comemoração da imigração ucraniana para o Brasil tem início no dia 13 de novembro de 2010 e se estenderá até o mesmo mês no ano de 2011 com atividades no Brasil e na Ucrânia, com atos culturais, cívicos e religiosos, com chamamento à participação de todos os brasileiros e ucranianos.

Vitório Sorotiuk

Presidente da Representação Central Ucraniano Brasileira.