Impressões do 37º Congresso da Juventude Ucraíno-Brasileira – Vilson José Kotviski

Momento da oficina sobre o Natal Ucraniano

Vou colocar algumas impressões do congresso, a fim de criar uma visão diferente de um simples relato dos acontecimentos…

O congresso foi muito produtivo no sentido da preservação e manutenção da nossa cultura. Vendo a juventude interessada em participar renova os ânimos para os desafios futuros.
Acredito que o congresso cumpriu seus objetivos de conhecimento das raízes da nossa comunidade. A idéia das palestras e oficinas, se mostrou muito eficiente para os trabalhos.

Como participei da oficina “Kólhada”, não poderei falar muito sobre as demais, porém entre as conversas com os demais participantes percebemos que todos estavam muito satisfeitos com os conteúdos ministrados. Segundo Dom Daniel, será preparado um material sobre os conteúdos tratados, que será distribuído para a comunidade.

Sobre a oficina “Kolhada”, a coordenação ficou a cargo da Ir. Celina Sloboda, que demonstrou as tradições do natal ucraniano com muita competência, vivacidade e alegria, onde não faltaram momentos de pura emoção pela singeleza e beleza da noite mais especial para as famílias ucranianas. A oficina contou com a mesa do Sviatei Vétcher, recepção do Didúh, degustação dos pratos típicos, entoação de kólhadas, explicações sobre todos os momentos da ceia, e também orientações para os grupos de kolhadnekês. Foram momentos mágicos, onde pudemos relembrar de muitas coisas, e aprender outras que não tínhamos onhecimento. Tenho certeza de que as próximas celebrações natalinas dos participantes serão mais ricas e muitos dos costumes esquecidos serão relembrados.

Outro momento de dar um nó na garganta de todos foi a leitura das memórias do pioneiro imigrante Sr. Ivan Passevitz (não sei se está escrito corretamente), especialmente do momento que conseguiram comer o primeiro pão no Brasil, fruto do trabalho árduo nos primeiros tempos. A leitura deste relato e também da carta de Iván Pototskei, um dos construtores da igreja da Serra do Tigre, nos levaram a uma viagem ao início da vida dos ucranianos no Brasil.

A vida da comunidade também foi retratada em forma de teatro. O esforço da comunidade é louvável e conseguiram demonstrar muitas das tradições e do estilo de vida dos imigrantes. O uso do espaço entorno do local e de materiais de apoio tornou interessante a apresentação, só faltou uma sonorização melhor e uma melhor coordenação do tempo e dos intervalos, mas em análise geral, foi agradável, engraçado e inclusive instrutivo pela demonstração de tradições, como a despedida dos noivos, o korovai, a carroça com os noivos… enfim, uma pesquisa muito interessante!

Completado a noite cultural, tivemos a apresentação de danças folclóricas com o grupo Spomen de Mallet que e recebeu aplausos calorosos, especialmente com o Hopak. O Spomen tem mostrado uma grande evolução nos últimos tempos em relação a pesquisa folclórica, representando muito bem a comunidade de Mallet!

No domingo pela manha a assembléia da AJUB fez a votação para a próximo congresso, as comunidades de Cruz Machado e General Carneiro apresentaram suas propostas, e a maioria decidiu por Cruz Machado. Aí tivemos a questão da nova chapa, mas ouve certo desconforto, já que nem o presidente atual e nem o presidente que compôs a nova diretoria estavam presentes, mas o pessoal que estava presente aceitou a nova chapa, e eu espero que consigam fortalecer a associação!

No congresso foi apresentado pela Representação Central Ucraniano-Brasileira o projeto das comemorações alusivas aos 120 anos da Imigração, que foi muito bem aceita pelos congressistas, despertando muitas idéias em relação à pesquisa histórica, realização de eventos e integração ao projeto. O TPUK também realizou a doação de mais de mil livros de escritores ucranianos aos participantes! Foi gratificante ver o pessoal escolher e carregar os livros, esses detalhes mostram que o pessoal se interessa pela nossa cultura e que a comunidade tem futuro!

No geral foi um evento muito agradável e enriquecedor onde os participantes puderam acompanhar na íntegra a realidade da colônia, suas belezas, suas dificuldades, sua cultura e seu modo de viver, e também foi uma experiência vitoriosa da união de duas comunidades em um grande objetivo, toda a organização merece as congratulações pelo belo congresso realizado!

Vilson José Kotviski – vilson@pessanka.com.br